Número de empresas exportadoras de Curitiba e região cresceu 16%

Tutu Sapatilhas, empresa curitibana que fez sua primeira exportação em 2016. N/F: Gustavo Krelling, sócio proproetário da fábrica. Curitiba, 03-06-17.Foto: Arnaldo Alves / ANPr.

Tutu Sapatilhas, empresa curitibana que fez sua primeira exportação em 2016. N/F: Gustavo Krelling, sócio proprietário da fábrica. Foto: Arnaldo Alves / ANPr.

O número de empresas exportadoras em Curitiba e região metropolitana cresceu 16,4% entre 2010 e 2016, segundo levantamento do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico Social (Ipardes), com base nos números da Secretaria de Comércio Exterior (Secex). Em 2010 eram 882 empresas e, em 2016, passou 1.027 – 16,4% a mais. A maior parte é formada por pequenos exportadores, com embarques anuais de até US$ 1 milhão.

“Os anos de 2010 e 2016 representam situações opostas para as empresas. Enquanto em 2010, a economia estava em franco crescimento, em 2016, as empresas enfrentavam os efeitos da recessão. O aumento do número de exportadores mostra a tentativa de os empresários acharem uma alternativa para a crise”, diz Júlio Suzuki Júnior, diretor-presidente do Ipardes.

A maior profissionalização para atuar fora do Brasil também tem contribuído, de acordo com ele, para que essas empresas achem espaço para seus produtos no exterior”

PEQUENOS – Os exportadores da RMC são desde empresas de confecções até montadoras, indústria de computadores, autopeças, porcelanas e fabricantes de cimento e de sapatos.

O número de pequenos exportadores, com embarques anuais de até US$ 1 milhão, passou de 694, em 2010, para 837 no ano passado, alta de 20,6%.

É o caso da Tutu Sapatilhas, de Curitiba, que no ano passado teve sua primeira experiência no mercado externo. “Depois de uma apresentação a lojistas em Viena, em 2014, conseguimos exportar um lote de 150 pares de sapatilhas de cetim para lojas da capital austríaca e Salzburgo”, diz Gustavo Krelling sócio proprietário.

A ideia é usar a experiência para estabelecer um plano estratégico de exportações no futuro. “Pensamos em mercados também como Austrália e Estados Unidos. Apesar de ser um produto artesanal, feito à mão, o nosso calçado tem apelo cosmopolita e é bem competitivo no exterior. O calçado brasileiro é muito aceito no mercado externo”, diz.

A empresa tem 13 funcionários – três na sede em Curitiba e mais dez na fábrica, localizada no Rio Grande do Sul.

PARANÁ COMPETITIVO – A entrada em operação de novas fábricas na RMC nos últimos anos, com incentivos do programa Paraná Competitivo, também ampliou o número de exportadores. Desde 2011, foram R$ 11,03 bilhões em projetos atraídos pelo programa na região, que incluem ampliação e construção de novas fábricas.

Muitas das empresas que se instalaram na região também possuem um foco na exportação, como é o caso das montadoras e fabricantes de autopeças. Fabricantes de cimento, como o Margem, que investiu R$ 340 milhões em uma fábrica de cimento em Adrianópolis, na RMC, também já figura na lista de exportadores do Estado.

Das 40 empresas do Paraná com exportações acima de US$ 100 milhões por ano, nove são da RMC – Renault, Volkswagen. Volvo, Caterpillar, CNH Industrial, Aker Solutions, Petrópolis, Robert Bosch e Petrobras.

Os investimentos foram atraídos não apenas pelos incentivos e a mão de obra qualificada, mas também pela localização estratégica, próxima do Porto de Paranaguá, que é o principal canal de escoamento para as exportações.

Fonte: Ipardes

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s