Confiança do comércio aumenta 12% em relação a setembro de 2016

Segundo o estudo da CNC, as condições atuais são melhores do que em 2016

Segundo o estudo da CNC, as condições atuais são melhores do que em 2016. Crédito: Pexels

 

O Índice de Confiança do Empresário do Comércio (Icec), apurado pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), atingiu 104,8 pontos no mês de setembro, indicando otimismo por parte dos comerciantes – acima da zona de indiferença (100 pontos). O indicador teve alta de 12% na comparação com setembro de 2016 e leve queda de 0,3% em relação ao mês passado, na série com ajuste sazonal.

“Apesar da queda mensal, a melhora gradual no desempenho do comércio vem promovendo o aumento da confiança dos comerciantes no ano”, avalia Izis Ferreira, economista da CNC.

Condições atuais melhores que em 2016

O fim dos saques das contas inativas do FGTS impactou a avaliação dos varejistas em relação as condições atuais na comparação mensal, resultando em queda de 1,5%. Na comparação anual, no entanto, o subíndice teve importante aumento de 42,1%.

A avaliação dos varejistas em relação às condições atuais melhorou em todos os itens, com destaque à economia, com aumento de 67,3%, na comparação com setembro de 2016. A percepção dos comerciantes sobre o setor e a própria empresa teve incremento de 42,3% e 28,6%, respectivamente, na comparação anual.

Neste setembro, 35,4% dos comerciantes consideraram o desempenho do comércio melhor do que há um ano. No mesmo período de 2016, esse percentual era de 22,8% dos entrevistados.

Alguma incerteza no curto prazo

As perspectivas para o curto prazo em relação aos desempenhos da economia, do comércio, e da própria empresa registraram leve queda neste mês de setembro (-0,4%), porém, em relação a setembro de 2016, as expectativas seguem melhorando (+2,5%). Acima da zona de indiferença (100 pontos), o subíndice atingiu 147,6 pontos este mês.

Na avaliação de 78,4% dos entrevistados, a economia vai melhorar nos seis meses à frente. Em agosto, esse percentual havia alcançado 77,0%, e em julho, 75,9%.

Disponibilidade para investir

Os preparativos para as festas de fim de ano já mostram impacto positivo no subíndice que mede as intenções de investimento do comércio, com aumento de 0,8% em setembro, com ajuste sazonal. Na comparação anual, o subíndice aumentou 9,3%, puxado pelas intenções de investimento nas empresas (15,7%), na contratação de funcionários (11%) e em estoques (2,2%).

Para 28,5% dos comerciantes consultados em setembro, o nível dos estoques está acima do que esperavam vender, proporção menor do que a apontada em agosto (29%).

De acordo com a CNC, a retomada gradual das vendas do varejo no curto prazo fortalece o cenário de desempenho mais favorável do comércio em 2017. A recuperação mais vigorosa no setor, porém, será determinada pela evolução do mercado de trabalho, notadamente a geração de postos de trabalho formais. Mesmo com o fim da injeção de recursos do FGTS inativo nas vendas do varejo, a CNC estima que o volume de vendas do comércio ampliado em 2017 deverá crescer +2,2%.

O Índice de Confiança do Empresário do Comércio (Icec) detecta as tendências do setor, do ponto de vista do empresário. A amostra é composta por aproximadamente 6.000 empresas situadas em todas as capitais do País, e os índices, apurados mensalmente, apresentam dispersões que variam de zero a duzentos pontos.

 

Fonte: Ascom/CNC
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s