Curitiba adota laço vermelho e sedia congresso sobre prevenção de aids e hepatite

00207948

O Mercado Municipal e o Jardim Botânico amanheceram nesta segunda-feira (25/9) com um novo adereço: cada um ganhou um laço vermelho gigante. A fita simboliza a luta contra a Aids e é mais comumente usada em 1º de dezembro, quando se celebra o Dia Mundial de Luta contra o HIV/Aids.

A “antecipação” da decoração com a fita vermelha nos dois pontos turísticos é o marco de que, nesta semana, a cidade se transforma no polo nacional de discussões sobre a prevenção do vírus HIV, ao sediar o HepAids 2017. O evento reúne o 11º Congresso HIV/Aids e o 4º Congresso de Hepatites Virais, promovidos pelo Ministério da Saúde, em parceria com a Prefeitura.

Com o tema Prevenção Combinada, o HepAids começa nesta terça-feira (26/9) e vai até sexta-feira (29/9), no Expo Unimed Curitiba. A previsão é que o congresso receba quatro mil pessoas, sendo 65% vindas de outras localidades. Entre elas, estão ativistas, cientistas, gestores e profissionais de saúde e também especialistas internacionais, vindos de Inglaterra, Argentina e outras localidades.

“A Prevenção Combinada representa a ampliação da gama de opções para se prevenir do HIV, oferecendo mais alternativas, cientificamente eficazes, em relação à opção mais conhecida: a camisinha. Entre elas, estão tratamentos de prevenção a pessoas já contaminadas com medicamentos antirretrovirais; a profilaxia pós-exposição, também com medicamentos”, explica a coordenadora de Vigilância Epidemiológica dos agravos crônicos transmissíveis da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), Liza Regina Rosso. “Também já é feito o a profilaxia pré-exposição, o Prep, para pessoas não-infectadas, mas em situação de elevado risco de infecção”, completa Liza.

No congresso, a coordenadora vai apresentar uma das experiências de sucesso de Curitiba: a do acompanhamento de gestantes para a eliminação da transmissão de mãe para filho do vírus HIV. “Nos últimos três anos, tivemos uma taxa de incidência de crianças até um ano contaminadas com o vírus inferior a 2% em relação a cada mil nascidos vivos na cidade. Esse índice nos credencia a pedir a certificação de eliminação da transmissão vertical junto à Organização Mundial da Saúde [OMS]”, destaca Lisa.

A Secretaria Municipal da Saúde terá, no HepAids 2017, um estande de exposição dos demais projetos de combate à Aids e às hepatites. O estande inclui a oferta gratuita de testes de diagnóstico nas unidades de saúde, a distribuição gratuita de preservativos masculinos e femininos, uma unidade móvel para testes rápidos em eventos e consultório de rua, a autotestagem, solicitável em Farmácia Popular, a possibilidade de a pessoa que tem o teste positivo para o HIV ter um tutor até iniciar o tratamento.

Além da extensa programação científica do congresso, haverá outras atividades dentro da programação oficial, como o lançamento dos novos protocolos clínicos para tratamento do HIV, além de publicações e campanhas. Confira a programação completa em http://hepaids2017.aids.gov.br/

Fonte: Sismuc

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s