Cocel informa que Horário de Verão é mantido e começa em 15/10

Depois de muita polêmica, o Ministério de Minas e Energia determinou que o horário brasileiro de verão será mantido por pelo menos mais um ano. No período entre 15 de outubro de 2017 e 17 de fevereiro de 2018 os relógios devem ser adiantados em 1 hora nos estados do Sul, Sudeste, Centro-Oeste e no Distrito Federal.

A eficiência da mudança de horário na economia de energia foi questionada por membros do próprio governo, o que causou grande repercussão entre a população. O Conselho de Monitoramento do Setor Elétrico, vinculado ao Ministério de Minas e Energia, divulgou que a economia proporcionada pela mudança de horário estaria próxima de zero.

Na segunda-feira, 25, o ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, confirmou que o horário será mantido porque mesmo uma redução mínima no consumo de energia é necessária – uma vez que a grave estiagem dos últimos meses tem prejudicado muito a geração de energia. Para evitar o acionamento em escala das termelétricas – que têm custo mais elevado, o Governo está comprando energia da Argentina e do Uruguai.

O objetivo do horário de verão é aproveitar melhor a luminosidade natural e desta forma reduzir o consumo e a demanda de energia no período entre 18h e 21h. No ano passado a economia chegou a R$147,5 milhões, de acordo com dados do Governo Federal. O deslocamento do horário de pico de consumo ainda minimiza o risco de sobrecargas nas linhas de transmissão e distribuição e evita que as usinas geradoras precisem trabalhar no limite de sua capacidade.

Mudanças nos hábitos interferem no consumo de energia

A popularização de aparelhos de ar condicionado é um dos fatores mais significativos na mudança do horário de maior consumo de energia. Os picos de consumo passaram a ser registrados entre 14 e 15 horas, quando a temperatura está mais alta. No passado a maior demanda ocorria entre 17 e 20 horas, principalmente devido ao uso de chuveiro elétrico. O recorde de consumo de energia no país ocorreu em 13 de janeiro de 2015, às 14h23.

Em Campo Largo a estação de maior consumo é o inverno, devido ao uso de aquecedores – ao contrário da maior parte no país onde o período de maior consumo é o verão devido ao uso de condicionadores de ar. Nos últimos anos esta diferença tem caído e o verão também apresenta picos de consumo.

“Horário de ponta” para consumidores com fornecimento em alta tensão muda durante o horário de verão

Durante a vigência do horário de verão o “horário de ponta” muda para o período compreendido entre 19h e 22h. Consumidores com fornecimento de energia em alta tensão pagam valores diferenciados de tarifas de acordo com o horário de utilização (conforme o contrato escolhido) e devem ficar atentos à mudança. Para os consumidores com fornecimento em baixa tensão (residências e maior parte do comércio) o horário de uso da energia não interfere na tarifa aplicada.

O horário de verão brasileiro é regido pelo Decreto Federal 6558/2008.

Fonte: Ascom/Cocel

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s