Intenção de consumo das famílias sai do vermelho após dois anos

comercio_varejista_julho2016

O indicador de intenção de consumo elaborado pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), e divulgado pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR), cresceu 11,8% em novembro no Paraná, quando comparado ao mesmo mês do ano passado. O percentual também aumentou 2,7% com relação ao mês a outubro.

Este é o primeiro resultado positivo desde 2015, tendo atingido a pontuação ideal, acima de 100 pontos, de uma escala de 0 a 200 pontos.

O indicador paranaense ficou 21% acima do índice nacional, que foi de em 80,2 pontos em novembro, com aumento de 3% com relação a setembro, representando a maior variação mensal do índice desde março 2017. Na comparação com o mesmo período do ano passado o índice nacional cresceu 7,9%.

A Perspectiva de Consumo, um dos principais itens que compõem a ICF, vem se mantendo em alta no Estado e apresentou aumento de 13,5% na comparação com outubro e de 40,9% na variação mensal.

Variações entre as classes econômicas

A ICF positiva em novembro foi impulsionada pelas famílias de maior poder aquisitivo. Entre aquelas com renda superior a 10 salários mínimos, o indicador ficou em 110,7 pontos, enquanto as famílias de menor renda ainda não alcançaram o patamar positivo.

O item com maior reação positiva no mês de novembro foi a Perspectiva de Consumo, com alta 14,6% nas classes C, D e E e elevação de 9,2% nas classes A e B.

O elemento Nível de Consumo Atual apresentou variação mensal negativa nos dois patamares de renda analisados: foi 1% menor do que em outubro entre as famílias com rendimentos até 10 salários mínimos e teve queda de 3,2% nas famílias mais abastadas.

Já o subindicador Perspectiva Profissional teve baixa de 0,7% nas classes A e B e o quesito Compra a prazo foi 1,7% inferior de outubro para novembro nas classes C, D e E. Os demais componentes da ICF ficaram positivos em ambas as classes econômicas.

Momento para compra de bens duráveis

Esse indicador mede a percepção do consumidor para compra de bens duráveis, produtos de maior valor agregado, que na maioria das vezes requerem endividamento. O perfil do paranaense mostra maior intenção para compra desse tipo de produto. Este elemento teve alta de 4,1% em relação ao mês anterior, atingindo quase o dobro de pontos do índice nacional (2,4%).

Fonte: Assessoria de Imprensa/ Fecomércio/PR

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s