G7 reivindica substitutivo ao projeto do Refis paranaense

O G7, grupo que reúne as principais entidades de representação empresarial do Paraná, reivindica ao Governo Estadual o encaminhamento à Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) de substitutivo ao Projeto de Lei (PL) nº 502/2018, que facilita a renegociação de dívidas das empresas paranaenses.

A partir de pedido do G7, coordenado pelo presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR e vice-governador eleito, Darci Piana, o governo sinalizou que vai ampliar o prazo de parcelamento das dívidas relativas ao Imposto sobre operações relativas à Circulação de Mercadorias (ICM) e ao Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), bem como estender a data do fato gerador até 31 de dezembro de 2017 – o projeto original abrangia apenas as dívidas até 30 de julho de 2017.

Para ampliar o número de parcelas e instituir condições diferenciadas às empresas paranaenses, as entidades representantes dos setores produtivos sugeriram a celebração de específico Convênio ICMS com o Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), uma vez que o limite de pagamento era de no máximo 60 parcelas. Convênios semelhantes foram assinados pelo Confaz com os estados de Rondônia e Rio de Janeiro.

O Convênio ICMS 133/2018 autoriza o pagamento dos débitos do ICM e ICMS, multas, juros e demais acréscimos legais em parcela única (com redução de 80% no valor da multa e 40% do valor dos juros), em até 60 parcelas mensais (com redução de 60% da multa e 25% dos juros), em até 120 parcelas (com redução de 40% da multa e 20% dos juros) e até 180 parcelas mensais (com redução de 20% da multa e 10% do valor dos juros).

Publicado no Diário Oficial da União (DOU) em 13 de novembro, o Convênio ICMS tem prazo de dez dias para ratificação nacional. A partir de 24 de novembro, o Governo paranaense está autorizado a encaminhar o substitutivo à Alep, alterando os termos do projeto original.

“Em virtude do agravamento da crise econômica dos últimos anos, que prejudicou as atividades dos mais diversos segmentos econômicos, constata-se necessária, novamente, a implementação de programa de parcelamento, Refis, que venha efetivamente a possibilitar a regularização de pendências tributárias e de natureza não tributária, por parte dos contribuintes paranaenses, restabelecendo o fluxo financeiro e a manutenção da atividade produtiva”, avalia o coordenador do G7, Darci Piana. As entidades signatárias do G7 esperam que o Governo estadual encaminhe o substitutivo o mais breve possível, incluindo as alterações pleiteadas pelo setor produtivo, com a anuência do Confaz.

Sobre o G7

O G7 é formado pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR), Federação da Agricultura do Estado do Paraná (Faep), Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), Federação e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná (Fecoopar), Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Estado do Paraná (Faciap), Federação das Empresas de Transporte de Cargas do Estado do Paraná (Fetranspar) e Associação Comercial do Paraná (ACP).

Fonte: Karla Santin – Fecomércio/PR

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s