Curitiba e municípios da região farão mutirão de combate à dengue

Iniciativa foi acertada em reunião dos secretários da Saúde do Estado e de Curitiba. Ação será liderada pelo Consórcio Intermunicipal para Gestão dos Resíduos Sólidos Urbanos (Conresol).

Curitiba e municípios da região metropolitana farão um mutirão para eliminar criadouros do mosquito da dengue. A medida preventiva foi discutida em reunião do secretário de Estado da Saúde, Beto Preto; e a secretária da Saúde de Curitiba, Márcia Huçulak, na prefeitura, terça-feira.

O mutirão, liderado pelo Consórcio Intermunicipal para Gestão dos Resíduos Sólidos Urbanos (Conresol), que é presidido pelo prefeito Rafael Greca, surgiu após uma conversa entre o Governo e a prefeitura da capital e tem como objetivo envolver os prefeitos, secretários municipais e servidores para um arrastão de limpeza e orientação sobre a doença e eliminação de possíveis criadouros do vetor.

O Levantamento Rápido de Índice para Aedes aegypti (LIRAa) apontou que a capital do Paraná não tem infestação do mosquito. Mas a articulação será em caráter preventivo. “Apesar de Curitiba e RMC, neste momento, não serem a principal região de foco, aqui é o grande local de cruzamento de todos os destinos do Paraná. Essa é uma iniciativa muito importante e acho que trabalhando juntos teremos muito êxito nessa grande batalha que estamos travando contra a dengue em todo Estado”, avaliou Beto Preto.

Para o prefeito de Curitiba, o melhor remédio para o combate da dengue é a limpeza. “A dengue ainda não existe por aqui, mas os focos existem. A nossa ideia é fazer esse grande mutirão para deixar tudo limpo, porque varrer é a melhor solução”.

MUTIRÃO – Os mutirões devem acontecer durante todo o mês de fevereiro e a população deverá ter grande participação para que o trabalho de eliminação dos focos seja efetivo. Equipes técnicas e de saúde dos municípios, em parceria com a Secretaria de Estado, também deverão receber orientações de manejo.

“Precisamos da colaboração da população, não temos como olhar e estar em todos os locais ao mesmo tempo. Cada um tem o dever de olhar o seu quintal”, ressaltou a secretária Márcia Huçulak.

De acordo com secretária municipal de Meio Ambiente, Marilza Oliveira Dias, a junção dos esforços entre os diferentes níveis do poder público torna o combate à dengue ainda mais efetivo. “O mutirão de limpeza consiste em mobilizar a população para trazer o lixo para fora de casa e o serviço de coleta e limpeza pública vai recolher e dar a destinação adequada, assim acabamos com os focos, que em 80% dos casos são removíveis”.

As ações serão realizadas em conjunto com o Conresol, as secretarias de Estado da Saúde, Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, Segurança Pública e as secretarias municipais de Saúde e Meio Ambiente.

Carlos Alberto de Andrade, presidente do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde (Cosems) comentou sobre a importância do envolvimento coletivo de prevenção. “Esse tipo de ação, que acontece por meio da prefeitura de Curitiba, do consórcio, dos prefeitos e secretaria estadual deve servir de exemplo para todo o Paraná.”, disse ele.

No boletim divulgado terça-feira pela Secretaria de Estado, foram registrados 3.264 novos casos de dengue em apenas uma semana, o número subiu de 7.618 para 10.882, 42% a mais que na semana passada. São 198 municípios com casos confirmados da doença e sete mortes.

Ações de prevenção são adotadas também em Londrina

O secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, se reuniu também terça-feira com autoridades de Londrina para definir estratégias de combate à dengue no município. O prefeito Marcelo Belinati e o secretário municipal da Saúde, Felippe Machado, apresentaram a preocupação e a necessidade em desenvolver ações locais para combate ao mosquito transmissor da doença.
“Londrina está preparando um trabalho de combate à dengue e solicitam apoio do Governo do Estado.

DADOS – Desde o início do novo boletim epidemiológico da dengue, Londrina teve 4.361 casos notificados, destes, 328 confirmados, 2.526 descartados e 1.500 em investigação. “A ideia é ampliar horários de atendimento nas unidades de saúde e futuramente abrir uma unidade exclusiva para atendimento de suspeitos e casos confirmados de dengue no município”, afirmou Belinati.

PRESENÇAS – Estiveram presentes na reunião o deputado estadual Tercílio Turini, o vereador de Londrina, Jairo Tamura, o chefe de gabinete do prefeito, Marcelo Canhada, a diretora de Atenção e Vigilância em Saúde da Sesa, Maria Goretti David Lopes, e a coordenadora de Vigilância Ambiental da Sesa, Ivana Lúcia Belmont.

Fonte: Secretaria de Estado da Saúde

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s