Complexos gastronômicos de Curitiba retomam atividades nesta sexta-feira (29)

Abrabar quer mudança no cálculo de ocupação para deixar dados mais claros no entendimento do consumidor e empresários do setor

Complexos gastronômicos de Curitiba querem retomar atividades para garantir a sobrevivência no mercado. Foto: Arquivo/XV Curitiba

Os complexos gastronômicos de Curitiba retomam as atividades nesta sexta-feira (29), com todos serviços previstos nos alvarás. Não haverá restrição na venda de produtos, incluindo bebidas alcoólicas, e de horário de abertura, tradicionalmente a partir das 17h, observando os protocolos de segurança sanitária.

De todos os associados, as férias coletivas já venceram, informa a Associação de Bares e Casas Noturnas (Abrabar/SindiAbrabar). Outros estabelecimentos adotaram os recursos previstos na MP 936, de suspenção ou redução de jornada e assim irão trabalhar com a capacidade reduzida, “de funcionários e capacidade de espaço, como orienta o protocolo do setor de alimentação”, disse o presidente Fábio Aguayo.

De acordo com a Abrabar, 50% dos estabelecimentos dentro dos complexos faliram, não tem capital de giro ou recursos para voltarem as atividades nos complexos. “Dos 27 complexos, oficialmente sobraram aproximadamente 10”, ressalta Aguayo.

Como exemplo, Aguayo cita Mercado Sal, Ca’dore, Souk, Santa Vila, Vila Urbana. “Cada um destes terá sua programação para reabertura com plano de contingência próprio, no qual tomarão todas as medidas de segurança e higiene”, pontua.

Segurança sanitária
A determinação é seguir a risca aquilo que consta na resolução número 01 de 16 de abril de 2020, bem como, protocolos de serviços de alimentação da Secretaria Municipal de Saúde. A intenção é somar os aspectos positivos e as orientações de funcionamento dos Mercados Municipais de Curitiba, reabertos pelo prefeito Rafael Greca. 

“Inclusive o próprio centro de vendas de alimentos e complexo gastronômico que tem o Mercado Municipal de Curitiba, tem nossos associados dentro de suas áreas e boxes já estão em pleno funcionamento, com todas as suas permissões do alvará”, diz o comunicado da Abrabar/SindiAbrabar.

De acordo com a entidade, antes da pandemia e no auge do setor eram quase 500 empreendimentos individuais dentro dos 27 Complexos Gastronômicos na Capital. Agora sobraram quase 10, sendo cinco complexos que anunciaram reabertura para o momento, somente com 145 empreendimentos individuais distribuídos nos principais complexos da cidade.

Área de ocupação
Aguayo lembra que a Abrabar/SindiAbrabar encaminhou, na quarta-feira (27), ofício aos secretários municipais Julio Mazza de Souza (Urbanismo) e Márcia Cecília Huçulak (Saúde), solicitando uma mudança no cálculo de ocupação por metro quadrado nos estabelecimentos da categoria em Curitiba.

A intenção é deixar os dados mais claros para garantir transparência no entendimento ao público consumidor e os empresários do setor. “Queremos a mudança de ocupação de lugar, ao invés de ser 9 metros quadrados, que seja de 7,02 metros quadrados, ou seja, 30% da capacidade”, completou.

Fonte: Ronildo Pimentel/Abrabar

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s