Sebrae apresenta protocolos de orientação para retomada das atividades dos pequenos negócios

Em parceria com o Ministério da Economia, iniciativa tem apoio de entidades setoriais com o objetivo de orientar o retorno de forma segura e consistente

Sede do Sebrae/PR

O Sebrae vai orientar as micro e pequenas empresas na retomada das atividades no país com a disponibilização de um conjunto de protocolos com orientações práticas e relevantes, alinhadas com as recomendações das autoridades de saúde. A ideia é fornecer aos empresários suporte com conteúdos em diversos formatos, como cartilhas, vídeos, áudios, entre outros materiais, para ajudar na adaptação dos negócios assim que forem liberados gradualmente para o funcionamento.

Ao todo, foram elaborados 35 documentos para 47 segmentos setoriais, que correspondem a 75% dos pequenos negócios do Brasil e são responsáveis por 46% dos empregos gerados no País. Os protocolos poderão ser acessados diretamente pelos donos de pequenos negócios em uma página específica no Portal Sebrae de acordo com o segmento de atividade.

Durante apresentação da iniciativa, em coletiva de imprensa online, nesta terça-feira (9), o presidente do Sebrae, Carlos Melles, destacou a parceria da ação com o Ministério da Economia, por meio da Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade (Sepec). “Apresentamos um documento completo com respaldo de diversas entidades dos setores, para atender a uma demanda do governo federal e dos empresários que precisam saber, com clareza, quais orientações devem seguir para a retomada dos seus negócios”, ressaltou.

O secretário especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos da Costa, reconheceu o esforço do Sebrae para apoiar os donos dos pequenos negócios durante a pandemia. “Esse trabalho do Sebrae tem o potencial de ajudar milhões de micro e pequenas empresas, com a capilaridade da instituição, com conhecimento sólido e técnico, para que também não se multipliquem milhares de protocolos pelo país”, explicou.

Para o diretor técnico do Sebrae, Bruno Quick, além de um conteúdo construído com base em orientações técnicas, os protocolos de retomada também contribuem para que toda a sociedade possa reconhecer os pequenos negócios que estão comprometidos com a segurança e saúde da população. “A palavra-chave é cuidado. Mais do que orientação, nós estamos buscando instrumentalizar as empresas de como implementar as medidas recomendadas e também possibilitar que os clientes conheçam os protocolos para verificar e reconhecer a pequena empresa que tem o cuidado para a reabertura”, destacou. O diretor explicou que as micro e pequenas empresas, com orientação do Sebrae, vão disponibilizar um QR Code para os clientes, que possibilitará a checagem das medidas implementadas nos estabelecimentos.

Cuidado com o cliente

Em Colombo, na região metropolitana de Curitiba, a empresária Sueli Costa, reabriu o restaurante Filé Gastronomia, após 43 dias fechado. Para a reabertura, ela se preocupou em implantar regras de higienização que começam na cozinha com cuidados na manipulação de alimentos e vai até a área do restaurante com o uso obrigatório de máscaras, a utilização de luvas descartáveis para se servir no buffet, uso de álcool gel e higienização permanente do local. O restaurante mantém distanciamento entre as mesas e clientes, além de estabelecer uma capacidade reduzida de pessoas. Segundo ela, as medidas são necessárias para que o local transmita mais confiança e segurança aos clientes.

“Foi necessário que a gente se adaptasse ao momento para continuar funcionando e atendendo nossos clientes que se preocupam com a saúde. Essa tem sido uma experiência desafiadora que nos ensinou a valorizar ainda mais o nosso tempo e os clientes”, afirmou a proprietária que chegou a assumir a cozinha do restaurante durante o período de férias dos funcionários. Para se adaptar ao novo momento, ela também intensificou as postagens nas redes sociais e passou a investir na entrega de refeições.

Cuidado com o cliente

Em Colombo, na região metropolitana de Curitiba, a empresária Sueli Costa, reabriu o restaurante Filé Gastronomia, após 43 dias fechado. Para a reabertura, ela se preocupou em implantar regras de higienização que começam na cozinha com cuidados na manipulação de alimentos e vai até a área do restaurante com o uso obrigatório de máscaras, a utilização de luvas descartáveis para se servir no buffet, uso de álcool gel e higienização permanente do local. O restaurante mantém distanciamento entre as mesas e clientes, além de estabelecer uma capacidade reduzida de pessoas. Segundo ela, as medidas são necessárias para que o local transmita mais confiança e segurança aos clientes.

“Foi necessário que a gente se adaptasse ao momento para continuar funcionando e atendendo nossos clientes que se preocupam com a saúde. Essa tem sido uma experiência desafiadora que nos ensinou a valorizar ainda mais o nosso tempo e os clientes”, afirmou a proprietária que chegou a assumir a cozinha do restaurante durante o período de férias dos funcionários. Para se adaptar ao novo momento, ela também intensificou as postagens nas redes sociais e passou a investir na entrega de refeições.

Crédito

Durante a coletiva, o secretário especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos da Costa, também destacou que uma outra preocupação do governo é oferecer acesso a crédito às micro e pequenas empresas. Segundo ele, com o processo de regulamentação do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe), já finalizado na semana passada, em breve os donos dos pequenos negócios terão acesso facilitado de crédito nas instituições financeiras. “Já repassamos os recursos por meio do Fundo Garantidor e agora estamos em contato diário com os bancos para que esse dinheiro seja liberado o mais breve possível. Para terem uma ideia, um produto bancário como esse demora em média de seis a oito meses para ser lançado, mas os bancos já estão fazendo as modificações necessárias em seus sistemas”, contou.

O diretor de Administração e Finanças do Sebrae, Eduardo Diogo, ressaltou o empenho do Sebrae para apoiar os empresários durante a crise e destacou os resultados positivos entre a parceria da instituição com a Caixa, por meio do Fundo de Aval às Micro e Pequenas Empresas (Fampe).  “Já alcançamos a marca de R$ 1 bilhão injetados na veia do caixa dos pequenos negócios, com a celebração de 12.682 contratos, gerando um valor médio de operação em torno de 78 mil”, destacou.

Fonte: Assessoria de Imprensa Sebrae

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s