Em menos de um ano Paraná soma 212.074 casos de dengue

A diferença do informe anterior para este é de 13.084 casos da doença e o boletim desta quinzena registra 9 mortes confirmadas por dengue.

A Secretaria de Estado da Saúde divulgou nesta terça-feira (16) o boletim quinzenal com os números da dengue no Estado: são 212.074  casos acumulados desde o início do período epidemiológico, em julho do ano passado.

A diferença do informe anterior para este é de 13.084 casos da doença e o boletim desta quinzena registra 9 mortes confirmadas por dengue.

Já o total de casos em investigação quanto à classificação final para a dengue diminuiu; eram 59.705 e agora são 52.775 casos em análise.

Os cuidados de prevenção e controle da dengue devem seguir por parte da população mesmo diante da pandemia da Covid-19 e da chegada do inverno. A Secretaria da Saúde recomenda a verificação constante dos quintais e dentro das residências para a eliminação dos criadouros do mosquito da dengue, o Aedes aegypti.

“A dengue mata e a proliferação do mosquito acontece durante o ano todo; por isso a necessidade da prevenção; neste momento, como existe a recomendação para as pessoas ficarem mais tempo em casa, por conta do coronavírus, a orientação é que aconteça uma busca minuciosa com a eliminação dos focos do mosquito transmissor”, afirma o secretário estadual da Saúde, Beto Preto. “Os cuidados de higiene redobrados devem se estender para todos os ambientes domésticos, de trabalho e de circulação. É preciso acabar com todos os pontos que acumulem água e que podem servir de criadouros”, acrescenta.

O período sazonal da dengue será finalizado no mês que vem, mas a curva epidêmica já apresenta tendência de queda desde maio em mais de 170 municípios, segundo a Vigilância Ambiental da Secretaria.

Eram 33 municípios em situação de alerta, e agora são 31. A relação dos municípios em epidemia apresentou pouca alteração se comparada às listas divulgadas anteriormente, eram 237 e agora são 240.

MORTES – O período soma 148 mortes, os nove óbitos registrados na publicação desta terça já vinham sendo investigados; oito são do sexo feminino e um do masculino.

Dois óbitos são de residentes no município de Ibiporã, duas mulheres, uma de 78 anos e outra de 67, que também apresentavam quadros de hipertensão e diabetes.

As outras mortes foram em Marilena, uma jovem de 25 anos, com síndrome de Donw; em Cascavel, mulher, 66 anos, com hipertensão e doença crônica do fígado; em Sarandi, mulher de 87 anos, com hipertensão; em Londrina, mulher de 71 anos, também com hipertensão; em Sertanópolis, mulher de 68 anos, sem comorbidades; em Jacarezinho, mulher de 64 anos, também sem comorbidades; e em Paranavaí, um homem de 70 anos, com quadros associados de hipertensão, diabetes e insuficiência cardíaca congestiva.

VIGILÂNCIA – O trabalho das equipes de vigilância ambiental no combate à dengue foi adaptado em função da pandemia; por enquanto estão suspensos os grandes mutirões de limpeza e arrastões, mas as atividades de apoio junto às Regionais de Saúde e aos municípios estão mantidas.

Na última quinzena de maio, por exemplo, foi realizada ação em Goioerê, na região de Campo Mourão, com eliminação técnica de criadouros em bairros do centro e na Vila Guaíra. Também foram identificados e desentupidos vários bueiros em outros pontos da cidade e feita visita, inspeção e orientação em associações de reciclagem e no pátio da Secretaria Municipal de Obras que abriga maquinários parados ou em manutenção.

Foi feita ainda capacitação sobre a aplicação de inseticida com equipamento costal, que auxilia na eliminação de focos em espaços maiores, como terrenos baldios, calçadas e praças.

“Já fizemos este tipo de trabalho anteriormente, em cerca de 60 municípios do Estado, sempre com resultados positivos”, explicou o técnico da Secretaria, José Carlos Martins, responsável pela ação em Goioerê.

REPASSES – Na semana passada, a Secretaria da Saúde repassou R$ 1,5 milhão para 62 municípios. O incentivo financeiro, oficializado pela resolução 782/2020, deve ser aplicado na assistência do paciente com dengue ou em benefício das atividades desenvolvidas por agentes de endemias ou comunitários de saúde diante da situação de alerta ou de epidemia de dengue.

Entre fevereiro e março, a Secretaria já aportou cerca de R$ 5,595 milhões para 174 municípios. Os repasses foram autorizados pelas resoluções 190, 227 e 345.

“Não baixamos a guarda em relação à dengue. O Governo do Estado segue atento neste combate, e mesmo diante atual tendência de queda continuamos o apoio aos municípios e a doença segue como uma das principais preocupações da gestão”, afirmou o secretário Beto Preto.

Fonte: SESA/PR

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s