Sanepar vai adotar novo modelo de rodízio a partir desta sexta

A medida é necessária devido à forte estiagem que afeta os níveis dos reservatórios do Sistema de Abastecimento Integrado de Curitiba e Região Metropolitana (Saic).

Foto: Andre Thiago Chaves Aguiar

A Sanepar vai adotar um novo modelo de rodízio no fornecimento de água de Curitiba e Região Metropolitana a partir desta sexta-feira (14), com a redução do intervalo entre a suspensão e a retomada do abastecimento. Dividida em três grupos de bairros (e não mais em cinco), a população ficará um dia e meio sem água e um dia e meio com água (36 horas X 36 horas).

A medida é necessária devido à forte estiagem que afeta os níveis dos reservatórios do Sistema de Abastecimento Integrado de Curitiba e Região Metropolitana (Saic). O anúncio foi feito nesta terça-feira (11) em entrevista coletiva pelo diretor-presidente da Sanepar, Claudio Stabile; pelo diretor de Meio Ambiente, Julio Gonchorosky; pelo diretor de Operações, Sergio Wippel; e pelo diretor de Comunicação e Marketing, Hudson José.

A medida foi anunciada quando o nível médio dos reservatórios chegou a 28,85%, o pior nível da história da medição da Sanepar. Os níveis de cada barragem estão em 10,55% (Iraí), 32,8% (Passaúna), 17,3% (Piraquara I) e 83,3% (Piraquara II). O sistema de rodízio já vem sendo adotado pela Companhia desde março, inicialmente para a região Sul de Curitiba e da Região Metropolitana devido à baixa vazão do Rio Miringuava.

Em abril, o sistema foi estendido a toda RMC. Desde então, a cada dia um grupo de 750 mil pessoas, ou cerca de 20% da população, tem o fornecimento suspenso.  Com a nova tabela, a partir destga sexta-feira (14) o grupo de pessoas sem água, a cada dia, será ampliado para 1,2 milhão.

META 20 – Além de alterar a programação do rodízio, a Sanepar está lançando a Campanha Meta20 para que a população economize 20% do consumo de água. “Esses 20% equivalem a 100 milímetros de chuva. Com 100 milímetros de chuva ou de economia da população, ganhamos um mês de reservação”, explica o presidente da Companhia, Claudio Stabile.

O presidente destaca ainda que o engajamento da população é essencial para que os reservatórios não sequem. “A população pode economizar e fazer a sua parte. Com essa mudança de postura, adotando medidas de uso racional, cada cidadão vai nos ajudar a garantir a água nos reservatórios por mais tempo, mesmo sem chuvas”.

O objetivo é alcançar a economia de 20% em um mês com acompanhamento e análise de cenário a cada 15 dias. Se não houver redução de consumo e não chover no período de avaliação, existe a possibilidade de ampliação do tempo sem água, caso o índice dos reservatórios fique abaixo de 25%. Neste cenário crítico, a população poderá ficar 48 horas sem água e 24 horas com abastecimento.

O rodízio só será suspenso quando os níveis das barragens estiverem acima de 60% e as chuvas estiverem acima da média histórica.

Segundo previsão meteorológica, este quadro só deverá ocorrer a partir de novembro. A atualização dos níveis das barragens já está disponibilizada pela Sanepar no site www.sanepar.com.br

CAIXA D´ÁGUA – Para diminuir o impacto do novo rodízio entre a população mais vulnerável, a Sanepar iniciou também a distribuição gratuita de caixas d´água de 500 litros para 2.800 famílias da área de rodízio da Região Metropolitana de Curitiba.

Serão atendidas famílias incluídas no programa de Tarifa Social, em áreas do rodízio e em localidades onde é mais demorada e mais difícil a recuperação do abastecimento (ponta de rede ou topografia acidentada). Cada família receberá um kit para a instalação e também a estrutura de suporte da caixa. As famílias são selecionadas em um processo técnico da Sanepar.

LAVATÓRIOS – Outra medida para diminuir o impacto da seca severa e permitir medidas de prevenção nesse momento de pandemia do coronavírus é a instalação de lavatórios comunitários em locais públicos de várias cidades do Paraná. A iniciativa, que começou em Curitiba, é realizada em parceria com as prefeituras municipais. Inicialmente, estão sendo instalados 53 lavatórios comunitários em 30 municípios para atender a população em geral. 

Em Curitiba e Região Metropolitana, são 13 equipamentos instalados em pontos estratégicos, onde há grande circulação de pessoas. Foram selecionados municípios de maior porte e com índice mais alto de contágio da Covid-19, de acordo com informações da Secretaria Estadual da Saúde. Os municípios atendidos irão assinar Termo de Adesão e Protocolo de Intenções, já que os equipamentos não serão doados pela Companhia.

Os lavatórios são acionados por um pedal, para não haver contato manual, e têm suporte para sabão. Os custos com água e sabão, a manutenção e a inspeção periódicas ficam a cargo dos municípios.

Fonte: Sanepar

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s