Reúso de efluentes industriais: como funciona

O reuso de efluentes industriais é um dos caminhos para o desenvolvimento sustentável.

Foto Divulgação Superbac

Existem inúmeras possibilidades de empregar a tecnologia de reúso de efluentes industriais para remover as impurezas e reaproveitar a água de forma segura, poupando um recurso que se encontra cada vez mais escasso

Segundo a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura, a indústria responde por 19% do consumo mundial de água. No Brasil, esse valor fica em torno dos 17%, sendo os setores de fabricação e refino do açúcar, produção de biocombustíveis e fabricação de celulose e outras pastas para papel os maiores responsáveis pela retirada de água do meio ambiente.

O reuso de efluentes industriais

A disponibilidade e a qualidade da água são fatores limitantes para o crescimento tanto da indústria quanto das comunidades. Embora seja muito importante evitar desperdícios e fazer mais gastando menos, tratar e reutilizar a água que sobra dos processos industriais também pode salvar uma enorme quantidade desse recurso natural.

No Brasil, a reutilização de efluentes industriais tem como principal destino o reuso não potável, ou seja, não é dirigido diretamente ao consumo humano. Com isso, o nível de tratamento requerido não é tão elevado, o que torna seu custo economicamente acessível.

Veja algumas finalidades nas quais as águas industriais reutilizadas podem ser aplicadas:

  • irrigação de gêneros agrícolas;
  • resfriamento de caldeiras;
  • rega de plantas ornamentais;
  • uso em descargas sanitárias;
  • cultivo de peixes e plantas aquáticas.

As boas práticas na gestão de efluentes industriais

Para um bom gerenciamento dos efluentes industriais, diversas etapas devem ser consideradas, incluindo:

  • geração — avaliar a quantidade e os tipos de resíduos, empregando formas de prevenir ou reduzir sua produção;
  • coleta e transporte — usar métodos compatíveis com a quantidade e os tipos de resíduos gerados;
  • tratamento — transformar os resíduos em produtos úteis;
  • eliminação — dispor os rejeitos em locais adequados, sem causar danos ao meio ambiente.

A legislação ambiental determina que as indústrias devem contar com um sistema eficaz de eliminação de efluentes e águas residuais. As melhores práticas de gestão de resíduos são aquelas que envolvem o reuso sempre que possível ou a destinação final adequada.

O papel dos microrganismos no tratamento de efluentes

Antes de serem encaminhados para o reuso ou descartados nos corpos d’água, os efluentes industriais devem passar por um tratamento em diversas etapas. Inicialmente, são empregados processos físicos para remover os sólidos grandes em suspensão.

Para remover os poluentes, são usados métodos químicos que também preparam os efluentes para o passo seguinte: o tratamento biológico. Por meio dele, a matéria orgânica é consumida por meio da ação de microrganismos e em sistemas de lodo ativado, há uma grande geração de lodo orgânico, o qual também poderá ser reaproveitado em compostagem ou outras aplicações, de acordo com sua caracterização.

As modalidades de reuso de efluentes existentes

Há diferentes tipos de reuso de efluentes. Eles podem ser diretos ou indiretos, resultantes ou não de ações planejadas:

Reuso indireto não planejado

Nesse caso, a água é usada em alguma tarefa humana, lançada na natureza e, depois, aproveitada a jusante, em forma diluída, de modo não intencional e sem controle. Indo até o ponto de captação para o novo consumidor, a água fica sujeita às ações naturais de diluição, autodepuração e outras características do ciclo hidrológico.

Reuso indireto planejado

O reuso de efluente indireto e planejado acontece quando, após o tratamento, é lançado nos corpos de água de forma planejada. As fontes de água podem ser subterrâneas ou superficiais. São usadas a jusante, com controle, com finalidades benéficas.

O reuso indireto com planejamento indica que há algum controle sobre as possíveis novas descargas de água no caminho, o que assegura à água tratada sujeição somente a misturas com outros efluentes que também atendam às condições de qualidade do reuso almejado.

Reuso direto planejado

O reuso de efluente direto e planejado acontece quando, após o tratamento, ele é direcionado, a partir do local de descarga, até o lugar de reuso. Assim, os efluentes não são lançados no meio ambiente. Trata-se do tipo de reuso de efluente mais praticado, sendo recomendado para indústrias e agronegócios (irrigação).

As aplicações da água reutilizada

A água pode ser reutilizada de diversas formas. Na verdade, fizemos uma lista dessas aplicações mais acima, mas agora vamos nos detalhar um pouco mais:

Irrigação paisagística

A irrigação paisagística reutiliza a água em parques, cemitérios, campus universitários, campos de golfe, gramados nas casas, cinturões verdes e outros locais.

Irrigação para cultivos na zona rural

Nesse caso, a água serve para plantar forrageiras, grãos e vegetais fibrosos, plantas ornamentais, plantas que servem para alimentação e proteger de geadas.

Recarga de aquíferos

Nessa situação, a água reutilizável pode servir para recarregar aquíferos de água potável, controle de recalques de subsolo e controle de invasão marinha.

Uso industrial

A indústria faz reuso de efluente na alimentação de caldeiras, água de processamento e refrigeração.

Usos na zona urbana e não-potáveis

Nesse caso, falamos de combate ao fogo, irrigação paisagística, lavagem de carros (e outros veículos), descarga de bacias sanitárias, sistemas de ar condicionado, limpeza de rua, terminais de ônibus e assim por diante.

Fonte: Portal Tratamento de Água

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s